logotipo da gestão participativa do SUS imagem menu

Projeto

Sobre

Imagem de capa Sobre


O Projeto “POLO INSTITUCIONAL DE FORTALECIMENTO DA GESTÃO PARTICIPATIVA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS)” se baseia na Política Nacional de Gestão Estratégica e Participativa no SUS (Participa SUS), política esta que orienta as ações do governo na promoção, qualificação e aperfeiçoamento da gestão estratégica e democrática das políticas públicas, no âmbito do SUS, nas respectivas esferas de gestão. 


Somos fruto de uma parceria entre a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP-MS) e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), por meio da Escola de Governo e Cidadania (EGC), e temos como objetivo promover o fortalecimento das políticas de gestão participativa do SUS. Mas você pode estar se perguntando, o que é a gestão participativa?

A gestão participativa é um desafio democrático. Envolve conhecer e ouvir as necessidades e desejos da população durante a formulação das políticas públicas e na prestação dos serviços à comunidade. Envolve também possibilitar que a sociedade fiscalize e controle as ações dos governos.  

Nós do Polo SUS, queremos gerar conhecimentos, informações e a capacitação e mobilização especialmente de quem atua na área da saúde, dando ênfase às populações em condições de vulnerabilidade social e maior iniquidade no acesso à saúde, particularmente a população do campo e da floresta (trabalhadores rurais, camponeses, quilombolas, assentados, atingidos por barreiras, ribeirinhos etc.), população LGBT, população cigana, população negra e a população em situação de rua.

Os principais objetivos do Projeto são:

a) Promover o fortalecimento das políticas de gestão participativa no âmbito do SUS mediante a geração de conhecimentos e capacitação dos gestores públicos e lideranças sociais.

b) Produzir e difundir conhecimentos e informações sobre a estrutura da participação social no Sistema Único de Saúde.

c) Capacitar e mobilizar os agentes públicos e sociais que atuam nas áreas da saúde com ênfase especial sobre as populações em condições de vulnerabilidade e iniquidade no acesso à saúde.

d) Contribuir para o fortalecimento da política de promoção da saúde e promoção da equidade em saúde.

e) Promover o desenvolvimento de competências e habilidades para que os gestores públicos e as lideranças sociais estejam mais aptos a atuar na promoção do direito à saúde em suas localidades.

f) Contribuir para a geração e a disseminação de novas tecnologias e experiências bem sucedidas de participação e controle social nos diferentes municípios.

g) Fomentar a criação de redes de cooperação e intercâmbio de informação na área da saúde.

i) Sensibilizar e capacitar os diferentes atores com o objetivo de promover a equidade no atendimento e no acesso à saúde.

j) Promover o fortalecimento de mecanismos de participação e fomentar a criação de redes articuladas em torno do controle e da gestão democrática das políticas de saúde.